Onde está Deus?



O salmo 115 começa assim:
 
"Não a nós, Senhor, nenhuma glória para nós, mas sim ao teu nome, por teu amor e por tua fidelidade!
Por que perguntam as nações: "Onde está o Deus deles?" 

Vivemos num mundo completamente desinteressado por aquilo que Deus quer dizer, mas ao mesmo tempo perguntam onde Ele estará. 

O interessante é que costumam seguir um padrão: Não querem saber mas logo que acontece a tragédia começam as perguntas. E como nos últimos anos estas têm aumentado, assim também cresce a revolta contra Ele.

A pergunta em si não tem problema nenhum. É completamente aceitável em face do que está a acontecer no mundo.

Por isso pergunto eu: Será Deus aquele velhote de barbas brancas que não ouve? Estará distraído? Onde está ele?

O salmo responde:

“O nosso Deus está nos céus, e pode fazer tudo o que lhe agrada.” 

Será então injusto? Agrada-se dos problemas em que vivemos? Deixa os desastres acontecer só para ser chamado?

Mas leiam bem o que o salmo também diz:

“Os mais altos céus pertencem ao Senhor, mas a terra Ele a confiou ao homem.” 

Se a Terra nos está confiada quem será então culpado por ela estar neste declínio?

Numa época em que o Homem procura liberdade porque se quer a intervenção Dele apenas nas coisas más?

Não somos capazes de cuidar de nós? A história diz que não.

Qual então o fundamento quando nos queixamos da fome no mundo, se a mulher mais rica de angola compra diamantes de valores astronómicos?  Se deitamos fora comida apenas por não ser bonita?  Das doenças se não cuidamos nem do ar que respiramos?

São perguntas que nos fazem porque o Homem sente estas coisas.

Acabo com um pensamento de um pregador chamado Ravi Zacharias. Disse mais ou menos o seguinte: Um dia conheci uma senhora que não sentia dor. Achei que fosse uma bênção até ver os problemas que lhe causava. Podia ter a mão no fogo e não se aperceber, podia até estar com uma ferida aberta e não saber dela. Será então não ter dor uma bênção? Ou será que ela existe para nos mostrar que algo está errado?